Construções sustentáveis são uma demanda crescente no mercado. Em 2017, o Brasil já ocupava o 4° lugar no ranking de países com a maior quantidade de projetos com a certificação LEED. Entretanto, você sabe o que é LEED, por que e como obter?

A LEED é a certificação de desempenho mais usada no mundo.  Ao determinar os requisitos para uma “construção verde”, a certificação promove uma mudança de mentalidade positiva para a sociedade.

Além da questão ambiental, a LEED pode possibilitar impactos sociais e econômicos positivos. Assim, construções mais sustentáveis se tornam uma possibilidade e com o custo-benefício otimizado! 

O que é certificação LEED, afinal?

LEED é a sigla para Leadership in Energy and Environmental Design ou Liderança em Energia e Design Ambiental. Trata-se de um sistema internacional de certificação de edificações, desenvolvido pelo United States Green Building Council (USGBC), em 1993.

Desde o início, o propósito da certificação LEED era promover práticas a serem adotadas por quem deseja tornar uma construção mais sustentável. Para tanto, apresenta-se uma série de parâmetros ambientais que empresas devem seguir para criar as famosas “construções verdes”.

Como qualquer iniciativa que objetiva transformar mentalidades no mercado, a LEED já foi alvo de questionamentos e dúvidas quanto aos seus benefícios.

Engenheiros e investidores não sabiam se o custo-benefício seria vantajoso, sobretudo no curto e médio prazo.

Foi só com o passar do tempo que os parâmetros da LEED deixaram de ser vistos como desnecessários, ainda que fossem considerados interessantes. O processo para que a certificação se consolidasse demandou, dentre outras questões, a evolução de materiais e logística da indústria da construção para atender às exigências da certificação.

Gradativamente, os benefícios ambientais, sociais e econômicos foram se tornando conhecidos. Assim, construções buscam hoje níveis cada vez mais elevados, como a certificação LEED Gold e a LEED Platinum.

Outros motivos pelo qual a certificação LEED foi criada são: 

  • Reconhecimento da liderança ambiental no mercado;
  • Padronizar a medição de um edifício “verde”;
  • Estimular a concorrência por construções sustentáveis;
  • Promover a importância e os benefícios da construção “verde” aos consumidores;
  • Transformar o mercado da construção.

Como funciona a certificação LEED?

Existem quatro tipos diferentes de certificação LEED, os quais consideram as necessidades de cada tipo de empreendimento:

  • BD+C — LEED para Projeto e Construção de Edifícios: seus parâmetros consideram a sustentabilidade de forma holística. Adequado para novas construções e reformas grandes. Pode ser aplicado em hotéis, motéis, pousadas, hospitais e escolas.
  • ID+C — LEED para Design e Construção de Interiores: com parâmetros que focam na adequação de espaços interiores, que é onde passamos a maior parte do tempo. Dessa maneira, há otimização na nossa qualidade de vida por meio de elementos sustentáveis aplicados no dia a dia. Adequado para escritórios e interiores comerciais, que não sejam hospedagem.
  • O+M — LEED para Operação e Manutenção de Edifícios Existentes: seus parâmetros buscam a adequação sustentável de edifícios mais antigos que consomem uma quantidade maior de recursos (energia, água, etc). Com o LEED, é possível mudar o parâmetro todo desses edifícios antigos. Pode ser aplicado em galpões e centros de distribuição e guarda volumes.
  • ND — LEED para Desenvolvimento de Bairros: conta com parâmetros que focam na melhoria global da região com a construção de áreas verdes, por exemplo. Pode ser utilizado na otimização da iluminação, fazendo uso da luz de LED, gerando baixo consumo de energia e possui vida útil maior que as lâmpadas comuns. Pode ser aplicado também na reutilização da água, com a criação de sistemas para tal objetivo.

Como conseguir a certificação?

De acordo com a classificação da construção ou reforma, a LEED apresenta os requisitos que devem ser seguidos para a obtenção da certificação. Além disso, há níveis diferentes da LEED estabelecidos por meio de um sistema de pontuação.

Para conseguir a certificação, é preciso alcançar um mínimo de 40 pontos. O desempenho máximo é de 100 pontos:

  • LEED Certified — para construções que alcançam entre 40 e 49 pontos;
  • LEED Silver — construções que fazem entre 50 e 59 pontos;
  • LEED Gold — para construções que alcançam entre 60 e 79 pontos;
  • LEED Platinum — para aquelas que fazem 80 ou mais pontos.

As otimizações nas edificações podem chegar a ter até 70 estratégias para se tornar sustentável.

A LEED está sempre em processo de atualização, portanto, sempre deve-se verificar qual a última versão da certificação. 

No Brasil a avaliação para a obtenção do certificado é realizada pelo Green Building Council Brasil (GBC Brasil). Alguns dos pré-requisitos para o selo LEED são:

  • Critérios mínimos do programa: são requisitos básicos que consideram a legislação vigente em âmbito estadual, municipal e federal.
  • Eficiência no uso da água: requerimentos da certificação LEED relativos à adição de estratégias para redução do consumo e reaproveitamento de água.
  • Espaço sustentável: requisitos que consideram a realização de melhorias em grandes centros, como a criação de ciclofaixas e bicicletários.
  • Materiais e recursos: requerimentos que consideram a utilização de materiais “limpos” (que não geram resíduos poluentes) e a existência de postos de coleta de recicláveis.
  • Energia e atmosfera: requisitos da certificação LEED voltados para o uso de fontes de energia inovadoras e mais eficientes (como lâmpadas econômicas e geradores a gás).
  • Qualidade ambiental interna: requerimentos que consideram o bem-estar em ambientes fechados, analisando o controle da emissão de produtos voláteis (como tintas e vernizes) e outros.
  • Inovação do projeto: requisitos da LEED que avaliam a adoção de soluções inovadoras e sustentáveis.

Para tal, o USGBC estabelece medidas de educação, para apresentar as melhores práticas em green building para a indústria. Além disso, a organização traz ferramentas e estratégias para gestores e equipes de projeto interessados na sustentabilidade de edifícios. 

Há também comitês, conferências e a Greenbuild, que é uma conceituada feira de exposição fora do país. 

Como obter a certificação LEED?

Para obter a certificação LEED para um empreendimento, é preciso registrá-lo no USGBC. O registro só será confirmado caso haja conformidade aos requisitos apresentados acima.

É importante destacar que, em nosso país, para conquistar um selo LEED é preciso seguir as determinações do Green Building Council Brasil (GBC Brasil) em um processo que envolve:

  • Escolher o tipo do projeto
  • Fazer o registro online
  • Enviar os templates do projeto pela plataforma do LEED Online
  • Aguardar pela análise e aviso sobre a conquista (ou não) da certificação

Existe algum custo?

Para obter  certificação junto ao USGBC, são cobradas algumas taxas, em dólares, e são separadas por categorias. Cada profissional se certificando tem uma necessidade diferente. 

Veja qual se encaixa à sua necessidade: 

  • Registro do Projeto: varia entre U$ 900 e U$ 1200;
  • Análise de projeto: o custo é calculado por metro quadrado e varia entre U$ 2000 e U$ 20000;
  • Certificação de obra: é semelhante à análise do projeto, pois é calculada de acordo com o tamanho da obra e varia entre U$ 750 e U$ 5000. 

Vale lembrar que toda a parte burocrática de custos pode ser feita por meio de um consultor com certificado LEED. 

Qual a importância de certificações como a LEED?

A certificação LEED é o selo de maior reconhecimento internacional. Isso está atrelado ao seu potencial de fazer com que edificações consumam menos recursos e sejam mais amigáveis ao planeta.

Essa abordagem deve fazer parte tanto da execução da obra como também do dia a dia do empreendimento e seus usos.

Parâmetros relacionados à eficiência no uso da água, menor consumo de energia e redução de custos locais estão entre os apresentados pela LEED. Eles contribuem para minimizar o impacto das atividades humanas no meio ambiente, favorecendo o desenvolvimento sustentável.

Uma construção que tem a certificação LEED pode, em muitos casos, ter custos de funcionamento e manutenção menores por usar tecnologias sustentáveis. Assim sendo, se torna um grande atrativo e tende a ser mais valorizada que outras propriedades do mercado.

Além disso, o ideal sustentável da LEED leva a um senso de comunidade maior. Isso acontece em decorrência da conscientização acerca das características e benefícios de uma construção verde. A consequência é um ganho social que proporciona bem-estar para inquilinos e usuários.

A importância da LEED para os profissionais

A importância da certificação LEED para arquitetos e engenheiros está associada à ascensão das construções verdes no país e no mundo. Projetos atuais, especialmente os de grande porte e de maior potencial lucrativo têm a sustentabilidade como um fator de grande relevância.

Essa demanda se justifica pela economia em médio e longo prazo e pelo fortalecimento da mudança de mentalidade proposta pela LEED desde a sua criação.

Assim, para estarem aptos a desenvolver projetos adequados às expectativas do mercado, arquitetos e engenheiros se beneficiam por buscar a certificação LEED. É isso o que contribui para que potenciais clientes reconheçam o profissional ou sua empresa como capazes de entregar construções mais eficientes e sustentáveis!

Considerações finais

Com o LEED, é possível encontrar estratégias sustentáveis com uma visão mais padronizada e comum. Assim, cada equipe de projeto saberá qual a meta a ser atingida a fim de alcançar a certificação. 

Quer ficar por dentro de dicas úteis de arquitetura e construção? Acompanhe nosso site!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *