Criada nos meados dos anos 1960, a arquitetura bioclimática vem ganhando força no mundo da arquitetura comercial, que procura encaixar cada vez mais em projetos arquitetônicos alternativas que levam em conta a sustentabilidade e, principalmente, a eficiência no uso de recursos.

Continue a leitura para entender mais sobre o que é arquitetura bioclimática e como o conceito se aplica na prática!

O que é arquitetura bioclimática?

“Bioclimatismo” foi um termo criado pelo irmãos Victor e Aladar Olgyay, que defendia a importância de que conhecimentos de outras disciplinas sejam aplicados a projetos arquitetônicos. Algumas dessas áreas do conhecimento são a biologia, meteorologia, topologia e a climatologia. 

A arquitetura bioclimática começou a ganhar destaque junto ao crescimento das pautas relacionadas à sustentabilidade. 

O conceito não se relaciona às tecnologias propriamente ditas, mas parte do pressuposto de que a harmonização entre um projeto construtivo e as características locais pode ser benéfica não só para o meio ambiente, mas também para o conforto e desempenho das edificações.

A arquitetura bioclimática ou arquitetura sustentável busca, portanto, garantir que os projetos apresentarão a eficiência e conforto demandados, mas que isso será feito com o menor impacto ambiental possível.

Arquitetura bioclimática em projetos comerciais

Como você pode imaginar, quando aliamos esses conceitos à arquitetura comercial, grandes resultados podem ser alcançados. Afinal, um bom projeto comercial objetiva garantir a construção de um ambiente agradável e funcional: princípios que se encaixam perfeitamente com a arquitetura bioclimática. 

É fundamental destacar que a aplicação dos princípios de sustentabilidade em projetos comerciais é capaz de trazer benefícios diretos e indiretos significativos para o empreendedor. Alguns deles são:

  • melhoria do conforto térmico e acústico da edificação;
  • economia de energia;
  • iluminação eficiente;
  • apelo sustentável;
  • atração de consumidores que se identificam com causas ambientais;
  • influência positiva no mercado e na sociedade; entre outros.

Na prática, como alcançar esses benefícios? Listamos alguns itens fundamentais a serem levados em consideração para que seu projeto arquitetônico seja considerado sustentável:

Janelas e vidros

Lembre-se do papel essencial dos vidros em relação à temperatura e iluminação natural do local.

Parte essencial da arquitetura bioclimática, os vidros precisam ser escolhidos com atenção. A transparência do vidro, por exemplo, determina a quantidade de radiação solar, ou calor, que irá penetrar na estrutura.

Circulação dos ventos

O segundo elemento essencial quando falamos sobre arquitetura bioclimática é a ventilação do local.

O mais importante é garantir que a circulação do ar aconteça naturalmente. Além de contribuir para o conforto térmico e, com isso, dispensar o uso recorrente de aparelhos como aquecedores ou ar condicionados; a ventilação contribui para a salubridade do ambiente, evitando o acúmulo de mofos, impurezas ou mesmo a transmissão de doenças.

No contexto da arquitetura comercial, este último item é de fundamental importância: em situações em que a aglomeração de pessoas é grande, ainda que em situações específicas, é fundamental manter o ambiente fresco e com circulação de ar agradável!

Luz Solar

Para lugares naturalmente mais quentes e ensolarados, a luz solar pode ser uma grande aliada de um projeto comercial sustentável.

Além do possível uso de iluminação natural, um meio simples e efetivo para reduzir o uso de lâmpadas e economizar na conta de luz, também existe a opção de aproveitar a luz do sol e transformá-la em energia por meio da instalação de células fotovoltaicas.

Convertendo a radiação solar em energia térmica e/ou elétrica, você não apenas irá economizar ainda mais nas contas, mas também irá gerar a sua própria energia de forma natural e sustentável.

Marquises, brises, toldos e persianas possibilitam um manejo melhor da incidência de luz solar com a ajuda de técnicas de sombreamento. 

Isolamento

O conforto térmico, tanto no inverno quanto no verão, deve ser uma das prioridades do seu projeto. Para isso, é preciso trabalhar bem o isolamento interno por meio de revestimentos e materiais isolantes que garantam esse conforto de temperatura para todos os seus clientes.

O material ideal para revestir áreas como a fachada, a cobertura, os pisos e as paredes, levando em consideração os princípios da arquitetura bioclimática, são os de origem natural ou recicláveis. 

Esses materiais sustentáveis não só providenciam um ótimo isolamento térmico e acústico como são mais econômicos, além de apresentarem menor impacto para o meio ambiente quando descartados — geralmente compostos por substâncias não tóxicas e que até mesmo podem passar por um segundo processo de reciclagem no futuro.

Por fim, jardins verticais e telhados verdes também podem ser alternativas bastante efetivas para quem deseja obter um isolamento térmico e acústico eficiente. Há, também, opções como paredes hidropônicas, que podem proporcionar uma excelente proteção contra extremos de temperaturas e até bloquear sons externos indesejáveis.

Por meio da sustentabilidade, podemos literalmente construir um mundo melhor para todos os habitantes. Como você pôde ver, práticas e técnicas simples durante a construção do seu espaço podem ajudar você a montar um espaço bonito, elegante e que integra a natureza (ao invés de negligenciá-la). 

Não temos dúvida de que esse é o futuro da arquitetura — ou pelo menos deveria ser.

Se quiser aprender mais sobre esse mundo da arquitetura sustentável em prol da natureza, assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *